Notícia

Sabó traz detalhes sobre juntas metálicas MLS

Os motores atuais estão cada vez mais sofisticados e é fundamental investir em tecnologia de ponta e pesquisa para que as juntas acompanhem esta evolução

Rede PitStop

A cada lançamento da indústria automotiva, os motores se tornam mais leves, potentes, econômicos e menos poluentes. Isso exige componentes mais evoluídos e que acompanhem as novas especificações das montadoras. A Sabó, fábrica apoiadora da Rede PitStop, conta com uma das mais modernas tecnologias em termos de vedação, que são as juntas metálicas MLS. 

Os motores atuais estão ficando cada vez mais sofisticados para atender exigências como  menor emissão de gases, altas taxas de compressão e juntas cada vez mais finas e mais sobrecarregadas.

Essa geração de motores eletrônicos e flex (bicombustível) reforça esta ideia de queima total do combustível, valorizando cada vez mais a qualidade das juntas do motor.

Para que as juntas possam acompanhar a evolução dos motores e desempenhar seu papel com eficiência, é fundamental investir em tecnologia de ponta e pesquisa constante de materiais. E é exatamente isso o que a SABÓ faz.

Juntas MLS ou juntas multicamadas?

Estas juntas são revestidas por RCM (Rubber Coated Metal), material que absorve as micro irregularidades das superfícies e adere nas partes do motor. A versão que tem mostrado maior eficiência é constituída de várias chapas sobrepostas, de forma que a soma das espessuras das chapas é igual à espessura da junta montada.

Na região da câmara de combustão, a junta multifolhas recebe um anel semelhante ao das juntas não-amianto, para vedar gases. Para vedar água ou óleo, vinca-se apenas a chapa de cobertura, aplicando uma fina camada de borracha sintética.

Assim como os demais produtos Sabó, as juntas MLS são testadas em dinamômetros de última geração. Estes equipamentos fazem com que as juntas trabalhem em condições extremas, simulando condições de uso, tais como:

- Altas velocidades com reduções bruscas.
- Baixíssimas temperaturas.
- Choques térmicos de 12 mil ciclos.
- Vazamentos do motor são motivos de reclamação dos clientes e podem causar danos e falhas no motor.

Embora as aplicações de juntas de cabeçote compostas continuem a existir, a maioria dos motores mais novos agora usa juntas MLS (multicamada). As juntas de cabeçote MLS têm sido empregadas pelos fabricantes de veículos desde 1991 e são as mais usadas nos motores hoje.

Juntas MLS são construídas com várias camadas de aço inoxidável endurecido, apresentando camadas externas em relevo e camadas internas limitadoras. As camadas em relevo são áreas elevadas que fornecem vedação, bem como a espessura desejada.

A montagem, que pode apresentar de três a cinco camadas dependendo da aplicação, é fixada com rebites. As camadas ativas em relevo comprimem e expandem durante a operação do motor, atuando essencialmente como molas tensionadas para manter o contato de vedação constante entre o cabeçote e o bloco.

A junta MLS realmente atua como uma mola, relaxando e sendo comprimida novamente toda vez que o pistão no cilindro dispara. Simulações em dinamômetros indicaram que um carro rodando 160 mil quilômetros a uma velocidade de 120 km/h, com o motor funcionando a constantes 2.400 rpm’s, faria com que os pistões gerassem pressão contra o cabeçote e sua junta de vedação por mais de 100 milhões de vezes.

Cuidados na substituição

Ao instalar uma junta do cabeçote MLS, certifique-se de que todas as superfícies estejam limpas e secas.

Ao limpar as superfícies de contato antes da instalação de novas juntas, evite o uso de qualquer raspador de metal duro que possa riscar ou arranhar as superfícies.

Esse cuidado é especialmente crítico quando se lida com superfícies de alumínio, como cabeçotes. A liga de alumínio usada em motores é relativamente macia e pode ser facilmente danificada com o uso descuidado de um raspador de aço. Arranhões, cortes, rebarbas ou sulcos pesados podem criar caminhos de escape de fluido, mesmo quando montados com juntas da mais alta qualidade, como as fornecidas pela Sabó.

Mesmo que a superfície pareça brilhante e limpa, uma ferramenta mal manuseada pode facilmente criar uma superfície irregular e ondulada que impedirá uma vedação perfeitamente paralela entre superfícies.

Fonte: Sabó 

28/09/2021

Avalie:

Comentários (0)

Enviar seu comentário