Notícia

Por que não fazer transferência de carga na bateria no veículo?

Moura, parceira da Rede PitStop, explica os perigos de realizar transferência de carga em baterias arriadas


Rede PitStop

Quando você descobre a bateria arriada em seu automóvel, a primeira a coisa que você pensa é fazer a transferência de carga. Mas você sabia que essa ponte pode danificar vários componentes eletrônicos do carro? Inclusive, este método é totalmente desaconselhado pelas montadoras e demais empresas automotivas.

A Moura, parceira da Rede Rede PitStop, traz uma explicação simples: hoje, os automóveis têm muita eletrônica embarcada. São itens que vão desde o rádio potente ao sensor de estacionamento. Portanto, se você realiza a transferência de carga, pode queimar a central de injeção eletrônica, os reguladores de tensão e até mesmo todas as peças eletroeletrônicas do veículo. Já pensou no tamanho do prejuízo?

Portanto, o certo é evitar a bateria arriada, ou se isso acontecer, solicitar ajuda de uma empresa especializada. Até porque, a bateria deve ser retirada e recarregada em dispositivos fora do vão do motor do veículo. O especialista também deve analisar se o alternador do seu automóvel está em perfeitas condições.

Por isso, quando a bateria estiver arriada nada de seguir o conselho popular e fazer a transferência de carga. Outro problema é que o procedimento é perigoso e só poderia ser feito por quem realmente entende do assunto e está ciente das normas de segurança. Afinal, entre substituir uma bateria e adquirir uma nova e correr riscos de acidentes com o seu automóvel e do amigo, é melhor contar com uma peça novinha.

Fonte: Rede PitStop

30/09/2019

Avalie:

Comentários (0)

Enviar seu comentário