Notícia

Atenção ao instalar a bateria em carros com sistemas start&stop

No momento da troca, optar por uma tecnologia diferente da bateria original de montadora gera redução considerável de vida útil do produto, além de possíveis danos a outros componentes elétricos


Rede PitStop

O start&stop é uma tecnologia sofisticada que permite economia de combustível e, por isso, ganhos ambientais importantes. No entanto, os benefícios envolvem o uso de baterias mais modernas. O start&stop desliga o motor sempre que o carro para e o liga novamente quando o acelerador é pressionado ou o freio é liberado, dessa forma o número de partidas ao longo do dia é muito superior ao de carros convencionais. O sistema eletrônico não deve ser confundido com a função start/stop, botão existente em alguns modelos que serve apenas para ligar ou desligar a ignição sem o uso da chave.

A Heliar, fábrica parceira da Rede PitStop, lembra que enquanto o veículo aguarda nos semáforos, por exemplo, consumidores elétricos como rádio, iluminação, ar condicionado e outros permanecem demandando eletricidade. Ao dar a partida, além de suportar o funcionamento dos eletrônicos, a bateria deve ainda acionar o motor. 

Para atender a esses requisitos, foram desenvolvidas baterias especialmente para uso em veículos com sistemas automáticos start&stop. Instalar uma bateria errada, normalmente no momento da troca, pode levar a consequências indesejadas.

Uma bateria de partida convencional não atende às demandas de um veículo com sistema start&stop automático. Isso vale tanto para carros com sistemas start&stop simples que tem o uso indicado de baterias EFB (Enhanced Flooded Battery) quanto para veículos com sistemas start&stop avançados, nos quais a eletricidade gerada pelo processo de frenagem é armazenada na bateria AGM (Absorbent Glass Mat).

Caso seja instalada uma bateria incorreta o veículo poderá apresentar demora ou falha na partida, já que o motor de arranque necessita de uma bateria que entregue uma corrente elétrica maior. Esse tempo excessivo ou falha na partida também causará a sobrecarga do motor de arranque, provocando desgaste ou até o danificando.  

As baterias EFB ou AGM são projetadas para serem acionadas com uma frequência maior do que as SLI (convencionais), suportam sofrer descargas mais profundas, por mais vezes, possuem uma velocidade maior de recarga e podem trabalhar com um regime de carga parcial. 

A desconexão do cabo responsável pelo funcionamento do start&stop, feita por alguns motoristas, é uma prática não recomendada, pois todo o sistema elétrico do veículo é projetado para trabalhar em sintonia com as informações coletadas da bateria e de outros componentes fazendo a perfeita distribuição de energia, seja advinda da bateria ou do alternador do veículo.

Confira outras possíveis consequências do uso de uma bateria de partida convencional em um veículo com start&stop:

Perda de garantia - A utilização de baterias de arranque inadequadas ou não aprovadas em veículos start&stop resultará na perda da garantia. O condutor será responsável por todos os danos decorrentes da perda de função associada à instalação de uma bateria incorreta.

Redução de vida útil - Devido à bateria incorreta, a quantidade de energia elétrica é muito baixa, o que levará à rápida deterioração da bateria.
Perda do conforto de condução - Idealmente, o Sistema de Gerenciamento de Bateria (BMS) detecta a instalação de uma bateria incorreta e adapta o sistema start&stop à menor potência da bateria para garantir que o motor continue a dar partida. Em caso de dúvida, as funções de conforto são indisponibilizadas durante a fase de parada.

Vazamento de ácido da bateria - O uso da tecnologia de bateria incorreta em um veículo start&stop resulta em uma deterioração mais rápida da bateria. Como resultado da sobrecarga, em casos extremos, o ácido da bateria também pode vazar.


Fonte: Heliar

12/04/2022

Avalie:

Comentários (0)

Enviar seu comentário